Presidente nacional do PTB Mulher, Marlene Campos Machado, foi recebida por prefeitos, vereadores e lideranças femininas locais, que têm por objetivo colocar o Partido em primeiro lugar em número de filiados no Estado de São Paulo.

 

1

 

A Campanha Estadual de Filiações do PTB Mulher realizou, na tarde da última quinta-feira (3), suas primeiras ações no Interior de São Paulo, nas cidades de Rio Claro e Santa Gertrudes, reunindo lideranças das 8 cidades que compõem a Região de Governo de Rio Claro, que conta com mais de 286 mil habitantes.

 

2

"A finalidade é fazer com que a força da mulher petebista faça a diferença na campanha estadual de filiações do partido, lançada pelo presidente deputado Campos Machado, e para estimular a participação da mulher na política", destacou a presidente nacional do PTB Mulher.

 

Composta por 8 cidades - Corumbataí, Analândia, Ipeúna, Itirapina, Torrinha, Brotas, Rio Claro e Santa Gertrudes, a Região de Governo de Rio Claro, que pertence à Região Administrativa de Campinas, teve 382 candidatas em 2016, e apenas 12 mulheres conquistaram assentos às Câmaras Municipais, de um total de 83 vereadores eleitos, apesar delas representarem 52% da população local.

 

"O PTB é um partido que verdadeiramente valoriza e incentiva​ a participação e o trabalho da mulher, não só em época de eleição. Aqui, as mulheres não são uma cota eleitoral, elas têm espaço, vida partidária e contribuem com ideias e projetos", completou Marlene.

 

Santa Gertrudes

 

 

 3
4

 

 

Pela manhã, Marlene foi recebida pelo prefeito de Santa Gertrudes, Rogério Pascon, sua esposa Fernanda e por mulheres do PTB da Região.

 

Ao agradecer a presença de Marlene, o prefeito ressaltou que "o apoio de sempre do PTB estadual e de seu presidente, deputado Campos Machado" e destacou que vai continuar apoiando e incentivando a participação da mulher na política.

 

 

56

7

 

Já a Primeira-dama destacou que a atual gestão é em maior parte formada por mulheres e "nosso time feminino vai conseguir um bom resultado. A mulher politizada faz um bem também para sua própria auto-estima", destacou.

 

Os vereadores do PTB William Bento e Aécio Bisesto, o Paraná, também recepcionaram a presidente nacional

 

Marlene empossou a nova presidente do PTB Mulher da região, a advogada Dra. Flávia Baioco. 

 

Também marcaram presença as seguintes autoridades e personalidades locais: Beatriz Fazanaro (PTB Mulher Santa Gertrudes); Jaime de Jesus Cineme (empresário de Cordeirópolis); Miguel Ribeirão (chefe de gabinete da prefeitura); Paulo (secretário de Habitação).

 

Rio Claro

 89

Em seguida, Marlene esteve no município de Rio Claro para dois eventos. Primeiramente com o prefeito Juninho da Padaria, e seu vice e também secretário de Segurança Urbana, Coronel Belagamba, e os vereadores do PTB Pereira e Andreeta.

 

 10

 

Todos se comprometeram em filiar centenas de mulheres para que o PTB nos próximos dias chegue a ser o primeiro em número de filiações no Estado.

 

111213

​Depois, a líder das Mulheres Trabalhistas participou de encontro de filiações com mulheres no Hotel Class. Os eventos foram organizados pelo presidente do PTB de Rio Claro, Tu Reginato, grande liderança na região, que presidente o Sindimuni (Sindicato dos Trabalhadores Municipais) e com ampla experiência no setor público como secretário de administração. Sua esposa Rita, também acompanhou as agendas.

 

CONFIRA MAIS FOTOS NO FACEBOOK MARLENE CAMPOS MACHADO

 

14

 

https://www.facebook.com/pg/marlenecamposmachado/photos/?tab=album&album_id=1447546971948892

Com base nos dados da OMS, Marlene Campos Machado calcula que o Brasil reduziu 63% as mortalidade materna nos últimos 25 anos.

 

Imagem inline 1

 

Especialista e ativista em assuntos voltados para causa feminina, a diretora-executiva do PMI, Projeto Mulheres Inspiradoras, Marlene Campos Machado, aponta redução significativa da mortalidade materna nos últimos anos, ao analisar o World Health Statistics 2017, da Organização Mundial da Saúde.

 

Em pleno 28 de maio, data reconhecida mundialmente como marco internacional de luta pela saúde feminina, Marlene ressaltou que é preciso reconhecer os avanços nas políticas voltadas para a saúde da mulher:

 

“Apesar de ser um problema complexo e de ainda estarmos longe do que se considera ideal, o Brasil reduziu em 63% a mortalidade materna de 1990 a 2016, passando de 120 para 44 óbitos por 100 mil nascidos vivos atualmente”, afirmou Marlene.

 

E completou: “a meta da pesquisa World Health Statistics 2017, da Organização Mundial da Saúde, é que o índice de óbitos por complicações maternas no mundo caia para 70 mortes por 100 mil nascidos vivos; ou seja, o Brasil em 2017 já está 37% abaixo da média mundial de mortes que a OMS deseja alcançar em 2030”.

 

Imagem inline 1

 

No entanto, Marlene destaca que de acordo com o PMI e com base nos dados da OMS e do Data Sus, apesar desse grande avanço, o Brasil ainda está longe do ideal, calculado em 20 ou menos mortes a cada 100 mil nascidos vivos e apontou outras questões relevantes voltadas para saúde da mulher.

 

Segundo ela, “essa evolução vivenciamos em nosso país serve como mensagem de esperança, de que temos condições de promover políticas públicas de saúde para a mulher com qualidade, mas sem nos esquecermos que o ideal ainda está longe e que ainda cerca de 830 mulheres morrem todos os dias no país por conta de complicações na gravidez ou no parto, isso representa quase 300 mil mortes por ano, segundo o Data Sus”.

 

Imagem inline 2

 

Marlene também comentou sobre o fato da hipertensão acometer mais as mulheres e sobre a necessidade do incentivo à promoção de debates sobre a saúde feminina como incentivo à práticas de prevenção.

Almoço fechou restaurante Dalmo Bárbaro, contando com a participação de mais de 200 mulheres

 

 

Marlene Campos Machado participou evento beneficente da Casa de Caridade Jesus de Nazareth e João Batista, na última semana. Mantenedora de creches e diversas ações sociais, a entidade fechou o restaurante Dalmo Bárbaro, nos Jardins, para angariar fundos através da venda de convites e de itens de bazar.

Para Marlene, que há 20 anos desenvolve trabalhos sociais em diversas comunidades do Estado e que já impactaram a vida de mais de 10 mil famílias, o trabalho da organização, dirigida por Elizabeth e Carla Tudisco, é exemplar:

 

"Minhas amigas Elizabeth e Carla têm um trabalho social admirável à frente da Caridade Jesus de Nazareth e João Batista. Mais do que acolherem dezenas de crianças em situação de vulnerabilidade social, a entidade consegue contribuir para formar cidadãos"

 

E completou, "é um verdadeiro trabalho de amor e doação, que contagia todos a participar".

 

 

Na oportunidade, mais de 200 mulheres compraram o convite do evento e fizeram doações e compras de alguns itens do bazar. Todos os fundos serão destinados para a atividades sociais da entidade.

 

Dentre as dirigentes da entidade, Carla é empresária e sua mãe, Elisabeth é escultora e artista plástica renomada, com obras em museus do Brasil e do Exterior. Ambas mobilizam e organizam voluntaria e periodicamente eventos voltados para o social.

 

 

As advogadas Dra. Larissa Campos Machado e a Alessandra Calabresi Pinto, também acompanharam Marlene no evento.

 

CONFIRA MAIS FOTOS: https://www.facebook.com/pg/marlenecamposmachado/photos/?tab=album&album_id=1369338213103102

CEO do Projeto Mulheres inspiradoras e empresária defende maior liberdade e menor burocracia como forma de combate ao desemprego

 

MarleneCamposMachado

 

A empresária Marlene Campos Machado, presidente do PTB Mulher, comentou, nesta segunda-feira (01/05/2017), desafios do Brasil que 'comemora' primeiro de maio com a triste marca de 14,18 milhões de pessoas desempregadas, cuja pesquisa PNAD do IBGE aponta que apenas 22 de 100 pessoas em idade ativa estão empregadas com carteira assinada e os demais índices de liberdade econômica colocam o Brasil como um dos países mais fechados do mundo.

 

Desemprego

“Acredito que seja o momento de pensarmos em criar condições para que haja aumento da produtividade no Brasil, é hora de rever o excesso de burocracia, impostos e rigidez, pois ainda estamos dentre os países mais fechados do mundo”, afirma Marlene.

 

No índice de liberdade econômica, medido pelo Heritage Foundation, que mede diversas variáveis como liberdade para fazer negócios, no mercado de trabalho e gastos governamentais, o Brasil aparece com um dos países menos livres, conforme apontou Marlene. O mesmo cenário é indicado pelo relatório Doing Bussiness do Banco mundial que indica, por exemplo, que o país gasta 2600 horas/ano de trabalho só para pagar impostos.

 

Gráfico

 

"É um tempo considerável que é perdido: para pagar impostos, para abertura de empresas, para concessão de alvarás e há pouca liberdade nas relações de trabalho, conforme avaliam alguns índices [...] é preciso pensar que o país precisa olhar para essas questões, pois precisamos gerar empregos", explica Marlene.

 

Marlene, que é diretora-executiva do PMI( Projeto Mulheres Inspiradoras), citou que o número desempregados somados ao de trabalhadores subutilizados é alto e que isso tem afetado mais as mulheres.

 

“São mais de 24 milhões de pessoas desempregadas ou sub-ocupadas, sendo que elas estão 28% mais afetadas pelo desemprego do que os homens [10,7% entre homens e 13,8 entre mulheres] e estão 8 pontos percentuais a frente deles em relação anos de estudo, segundo a Pnad do IBGE”, destaca.

 

Para a empresária, apesar do momento crítico, é preciso perceber o momento de mudança: “Temos que olhar com atenção e responsabilidade esse debate sobre a questão trabalhista e pensar como fazer para nosso país volte a crescer ... é um dia do trabalho em que só 22% das pessoas com idade ativa estão empregados com carteira assinada”.

 

Gráfico 2

 

Trabalho